3 Cafés para a sua pausa (e docinho) do dia em Paris

12/06/2016.Letícia.0 Likes.0 Comments
Home/Temas parisieníssimos/Experimente/Cafés/3 Cafés para a sua pausa (e docinho) do dia em Paris

E em meio às suas caminhadas em Paris, vai ter sempre aquele momento sublime do dia para a pausa do café, do chá, do chocolate quente, do café ou chocolate viennois (com chantilly por cima – hummm!), que virão acompanhados de um crocantíssimo croissant ou de uma tentadora pâtisserie – aqueles doces finos e impecáveis franceses. Verdadeiras armadilhas!

Impossível eleger os melhores endereços em Paris nesse quesito, pois a oferta é vasta em todos os bairros e o nível de qualidade excelente, no geral. Os parisienses são exigentes para cafés, pães e doces e essa cultura do café faz parte do estilo de vida na cidade.

Ainda assim, gostaria de indicar a vocês 3 lugares que eu pessoalmente adoro e acho que valem muito a pena conhecer, seja pela qualidade, pela história e tradição ou pelo ambiente, que maximiza ainda mais qualquer experiência.

Para você não se arrepender de se acabar com essas calorias deliciosas durante a sua viagem, e nem perder um tempão na fila de alguns locais bem famosos dos guias, mas hoje só frequentados (e lotados) por turistas – Vamos lá!

Maria Antonieta não pensava nas calorias, pelo menos na visão de Sofia. Cena do filme "Marie Antoinette" (2006), de Sofia Coppola e estrelado por Kirsten Dunst no papel da rainha célebre.

1. Café de la Paix

Já pensou em tomar um café no mesmo local onde Oscar Wilde e Victor Hugo faziam suas pausas do dia no século 19? Ou aonde Marlene Dietrich gerava engarrafamentos e tumulto nos anos 50?

O Café de la Paix, inaugurado em 1862 e parte do hotel Paris le Grand (atualmente da rede InterContinental), é um verdadeiro monumento da cidade, testemunha de todas as transformações desta região badalada desde então.

A dois passos do Opéra Garnier, este hotel e café foram construídos em decorrência do plano do Barão Haussmann e seu decreto de 1860, no qual estabelecia a construção de avenidas mais largas e impunha regras restritas para os prédios do novo bairro, o da então futura ópera de Paris. Tudo isso acontecendo sob a demanda de Napoleão III e mais detalhes ficarão para um próximo post!

Pâtisserie tradicional da casa: o millefeuille ou mil-folhas em português (14 euros – data do post).

Dica – Parisieníssima: o terraço é agradável nos dias quentes, mas eu ficaria no interior para curtir cada detalhe da decoração de estilo Napoleão III, que é classificada como patrimônio histórico do país. E ja que a sala do café é anexa ao hotel, vale a pena dar uma voltinha em seu interior. Você passará pelo restaurante belíssimo com sua cobertura de vidro, garantindo uma luz perfeita e ambiente aconchegante mesmo nos dias de tempo fechado. E logo ao lado, a sala Opéracereja do bolo!

Local onde realizam eventos, casamentos e onde muitos parisienses famosos ofereciam festas, como por exemplo Victor Hugo e Alexandre Dumas, que realizavam banquetes neste local no século 19.

Para você ter uma ideia, veja a foto que compartilhei da minha visita ao hotel em nossa conta Instagram:

2. Café Jacquemart-André

Certamente um dos mais lindos cafés de Paris!

Situado dentro de um museu pouco conhecido dos turistas de mesmo nome, numa região entre a avenida Champs-Elysées e as lojas de luxo da Rue du Faubourg Saint-Honoré, este lugar se tornou ainda mais charmoso para mim após conhecer um pouco sobre a história do casal Jacquemart-André (Edouard André e Nélie Jacquemart), que morava neste palacete urbano, os chamados hotel particulier em Paris.

História digna dos livros de romance, ele de uma família aristocrata e ela de uma família modesta, se conhecem quando Nélie – jovem artista – vai até a residência de Edouard para realizar seu retrato em 1872. O casamento, que parece ter ocorrido por conveniência – com os dois já na casa dos 50 anos de idade – se revela bem-sucedido, uma vez que o gosto comum pela arte é unido e eles decidem investir em uma coleção de arte, que hoje se tornou o acervo do museu Jacquemart-André. O interessante é que Edouard fez um testamento antes de morrer deixando tudo para Nélie, mesmo com diversos contratos feitos por seus irmãos na ocasião do casamento. E quando ela faleceu, deixou uma carta pedindo que a casa fosse doada a um instituto de arte francês, para ser visitada pelo maior público possível – não somente por aristocratas – e chegou até a descrever como as obras deveriam ser dispostas.

A sala do café hoje era a sala de jantar do casal, que conta ainda com um terraço e um jardim muito bonito à sua frente.

Pâtisserie tradicional da casa: nenhuma especialidade clássica da casa, mas oferecem um menu da hora do chá a partir das 15h, onde você escolhe um chá e uma pâtisserie por 11.50 euros.

Dica – Parisieníssima: quando fui, provei uma torta de limão – esplêndida – e um pedaço de uma outra de macaron de framboesa e rosas, que estava super em alta no momento!

3. Carette

O café e pâtisserie Carette é mais um dos típicos terraços parisienses, com suas mesas na calçada por todo o ano. Inaugurado em 1927, ainda guarda um espírito dos anos 20, quando a cidade borbulhava novamente de boêmios, escritores e artistas no pós-guerra.

Localizado na Praça do Trocadero, bem em frente à uma das vistas mais populares da Torre Eiffel, está sempre movimentado, mas ainda agrada bastante os locais.

São famosos por seus macarons e variedade de chás, além de oferecerem também diversos pratos e saladas para um almoço ou jantar mais rápido.

Pâtisserie tradicional da casa: os macarons, claro! Eles têm um menu de 15 euros para qualquer bebida quente + 5 macarons ou uma outra pâtisserie que você pode escolher.

Dica – Parisieníssima: você ficará confuso com tanta opção de doces tão perfeitos e chamativos. A torta Choco-Choc é a minha favorita – para chocólatras assumidos!

+ Info útil:

  • Café de la Paix

5 Place de l’Opéra – 75009 Paris
Metrô: Opéra (linhas 3, 7 e 8) ou Chaussée d’Antin – La Fayette (linhas 7 e 9)
Aberto das 7h às 23h – todos os dias.

  • Café Jacquemart-André

158 Boulevard Haussmann – 75008 Paris
Metrô: Saint-Philippe-du-Roule (linha 9) ou Miromesnil (linhas 9 e 13)
Aberto das 11h45 às 17h30 – todos os dias.

  • Carette

4 Place du Trocadéro et du 11 Novembre – 75016 Paris
Metrô: Trocadéro (linhas 6 e 9)
Aberto das 7h às 23h30 – todos os dias.

Add comment

© 2016 Parisieníssima - Todos os direitos reservados.