Conheça o jardim suspenso de Paris e veja a cidade de outro ângulo

18/07/2016.Letícia.0 Likes.0 Comments
Home/Temas parisieníssimos/Explore/Conheça o jardim suspenso de Paris e veja a cidade de outro ângulo

Procurando novas vistas de Paris ou apenas um refúgio verde para respirar durante seus trajetos?

Conheça o Coulée verte René-Dumont – também conhecido como Promenade plantée (passeio ou caminhada plantada) – que começa na Place de la Bastille (Praça da Bastilha) e se estende por 4.5 km indo até a Porte de Montempoivre, uma das saídas da cidade para o periférico.

Inaugurado em 1988, foi projetado pelo arquiteto Philippe Mathieux e pelo paisagista Jacques Vergely, para ocupar todo o percurso de uma antiga linha de trem desativada em 1969, que ligava a estação Bastille – que também não existe mais, dando lugar à Ópera Bastille – até a cidade de Verneuil-l’Étang.

E o mais legal do passeio – a 7 metros do chão – é poder observar as ruas e os prédios da região por um novo ângulo, que vai se revelando às vezes até inesperadamente, em meio a pequenos (ou grandes) espaços entre as árvores e arbustos. Alguns deles, ainda parte da vegetação selvagem que havia invadido o espaço após a desativação da linha de trem.

Exemplo bem-sucedido em matéria de urbanismo, este jardim suspenso conseguiu harmonizar os diferentes elementos da paisagem local e além de conquistar a apreciação dos moradores do distrito 12, inspirou outros projetos semelhantes – como o mais famoso e descolado: High Line, em Nova York – e também já serviu de cenário de cinema! Aliás, foi a minha irmã mais nova que me convidou a este passeio no ano passado, como fã de arquitetura e do tal filme gravado ali…

Por um acaso, você reconhece este casal?

Sim! É aqui que Céline (Julie Delpy) e Jesse (Ethan Hawke) têm um longo diálogo no segundo filme da trilogia de Richard Linklater: “Antes do Pôr-do-Sol” (Before Sunset), de 2004.

E se até agora você não se convenceu de que a visita vale a pena, um ponto altíssimo do passeio é o Viaduc des Arts (Viaduto das Artes), logo abaixo do jardim.

São nestes arcos da arquitetura do antigo viaduto, que encontram-se os ateliês de alguns dos principais artesões de Paris.

Para ser exata, há atualmente 52 artesões dos mais diversos ofícios de arte/artesanato, expondo suas técnicas e vendendo seus produtos e serviços no local. Desde fabricantes de pianos, guitarras e guarda-chuvas; passando por ferreiro, sapateiro; até designer têxtil e estilista de vestido de noiva.

Para quem tem menos tempo e quer aproveitar o melhor do Coulée verte René-Dumont, o ideal é chegar pela Bastille e caminhar pela Rue de Lyon em direção à Avenue Dausmenil, subindo ao jardim pelo acesso (via escadas) na esquina com a Avenue Ledru Rollin. Assim, você já consegue aproveitar para dar uma olhada em alguns dos ateliês do Viaduc des Arts, que se estende por toda a Avenue Dausmenil.

E seguindo nesse trecho suspenso do jardim entre o cruzamento com a Avenue Ledru Rollin e a Rue de Rambouillet, você já terá belas paisagens pelo caminho e a vista de alguns dos prédios mais bonitos do bairro.

Se sentir vontade de continuar, a paisagem não será nada monótona durante os completos 4.5km!

O jardim deixa de ser suspenso em alguns trechos, nos quais você passará por bambus, túneis, fontes, parques e até um vagãozinho antigo, como vestígio do antigo percurso do trem.

Boa caminhada!

+Info útil:

Coulée verte René-Dumont + Viaduc des Arts
Acesso pelo número 46 da Rue de Lyon (início do trajeto) ou pela Avenue Dausmenil, na altura do cruzamento com a Avenue Ledru-Rollin – 75012 Paris

Metrô: início do trajeto: Bastille (linhas 1, 5 e 8), Ledru-Rollin (linha 8) ou Paris Gare de Lyon (linhas 1 e 14) / final do trajeto: Dausmenil (linhas 6 e 8)
Aberto todos os dias – das 8h às 17h, e até às 21h30 durante o verão.

Add comment

© 2016 Parisieníssima - Todos os direitos reservados.