O charme (quase) escondido das passagens cobertas de Paris

16/04/2016.Letícia.0 Likes.2 Comments
Home/Temas parisieníssimos/Explore/O charme (quase) escondido das passagens cobertas de Paris

Sabe aquele dia em Paris que você planeja visitar a Galeria Lafayette para admirar sua cúpula? (ou para compras – ok, ok!)

Você pode encaixar no seu trajeto duas das minhas passagens cobertas favoritas: a Passage des Panoramas e a Passage Jouffroy.

Ambas localizadas na Boulevard Montmartre – uma em frente à outra – na região dos Grands Boulevards, para mim é parada obrigatória para quem vem à Paris!

Inauguradas na primeira metade do século 19, caminhar (ou flanar) dentro delas se deixando levar pelos encantos de cada vitrine, nos traz a sensação de uma verdadeira viagem no tempo.

Confesso que tenho de entrar toda vez que passo por lá e a cada visita, encontro algum novo detalhe e uma nova marca do contexto histórico no qual foram idealizadas.

A Passage des Panoramas por exemplo, foi construída e inaugurada entre 1799-1800, sendo uma das primeiras galerias comerciais cobertas de Paris e da Europa.

Inspiradas nos souks orientais que já possuíam esse conceito de passagem comercial ha séculos, a Passage des Panoramas inovou na época com seu telhado de vidro e depois em 1816, com o primeiro sistema de iluminação a gás. Marca também as características do urbanismo na cidade no final do século 18 – inicio do século 19, onde o comércio era ampliado e este locais ofereciam maior conforto à burguesia nos dias de chuva e frio, sendo mais agradável do que caminhar pelas ruas escuras e muitas vezes com lama. São os verdadeiros primórdios dos nossos shopping centers, digamos assim.

E o que você encontra lá afinal?

  • Diversos restaurantes e uma creperia-sorveteria.
  • Selos, cartões postais e posters antigos, entre outras antiguidades. Aliás, esta passagem é um dos principais pontos de Paris para o comércio de filatelia (colecionismo de selos).
  • Loja Graveur Stern, que inaugurada em 1834 era responsável pela impressão de cardápios da alta sociedade, títulos da Bolsa de Valores, cartões de visita, e também pela gravação de medalhas oficiais, abotoaduras e etc.

E saindo da Passage des Panoramas, já avistamos a tão encantadora quanto: Passage Jouffroy.

Inaugurada em 1845 – aproveitando-se da popularidade da primeira – também marca a evolução tecnológica do século 19. Foi a primeira passagem de Paris a ser inteiramente construída em metal e vidro e contar com aquecimento pelo solo.
Seu sucesso também é devido ao Museu Grévin – museu de cera no estilo Madame Tussaud’s – inaugurado em 1880, que possui uma de suas saídas dentro da própria passagem.

E além de todo o charme ao redor, você encontrará:

  • Lojas encantadoras! Brinquedos (no melhor estilo retro/vintage), miniaturas, presentes e artigos de casa/decoração.
  • Livrarias e sebos – Muuuuito legais!

Alerta: as chances são altas de você se perder por horas aqui dentro!!!

  • Restaurantes e cafés:

Recomendo o Le Valentin para a pausa do almoço (eles oferecem menus simples – Quiche ou torta com salada) ou café da tarde – eles têm doces maravilhosos!
Também recomento o Café Zephyr logo na entrada pela Boulevard Montmartre – Aqui tomei o melhor chocolate viennois (chocolate quente com chantilly) que já provei em Paris.

Te falei acima que seriam duas das minhas passagens favoritas. Mas que tal continuar o caminho na saída da Passage Jouffroy e dar mais uns passos pela Passage Verdeau também?

Vale à pena visitar a lojinha de artigos de bordado e costura e pelo menos passar pelas vitrines de suas lojas de arte, móveis e antiguidades.

Ah! E para finalizar (e te convencer), você ainda ganha um presente no trajeto da Galeria Lafayette até a Boulevard Montmartre para visitar as passagens.

Esta é a linda vista da Basilique du Sacré-Coeur (ou basílica do Sagrado Coração) na esquina da Boulevard Haussmann com a Rue Laffitte, que poucos prestam atenção.

+Info útil:

  • Passage des Panoramas
    11 boulevard Montmartre – 75002 Paris
    Metrô: Grands Boulevards (linhas 8 e 9), Richelieu – Drouot (linha 9) ou Bourse (linha 3)
    Aberta das 6h às 0h – todos o dias

 

  • Passage Jouffroy
    10-12 boulevard Montmartre – 75009 Paris
    Metrô: Grands Boulevards (linhas 8 e 9), Richelieu – Drouot (linha 9) ou Bourse (linha 3)
    Aberta das 7h às 21h30 – todos o dias

 

  • Passage Verdeau
    6 rue de la Grange-Batelière – 75003 Paris
    Metrô: Grands Boulevards (linhas 8 e 9), Richelieu – Drouot (linha 9) ou Bourse (linha 3)
    Aberta das 7h30 às 21h – segunda à sexta / 7h30 às 20h30 – finais de semana

Comentários (2)

  • Marcida Pereira .28/04/2016.Responder

    Excelente dica é fora do roteiro turístico batido. Já estive em Paris mais de uma vez e não conheci esses lugares lindos. Já inclui no roteiro da próxima visita 😉

    • (Autor) Parisieníssima .28/04/2016.Responder

      Obrigada Ma! Como disse (e escreveu) Honoré de Balzac: “Paris é na verdade um oceano: você pode mergulhar nela, mas jamais conhecerá suas profundezas”. 🙂 E é bem isso mesmo!

Add comment

© 2016 Parisieníssima - Todos os direitos reservados.